Força e foco, que agora vai!

Bem, por ser essa a primeira matéria do ano em nosso blog, me permiti uma abordagem embasada pela percepção do que projeta o ano novo. Espero que gostem!

Antes de começar para valer, já adianto, quase que como um spoiler, que o texto a seguir não é um conteúdo técnico quanto à abordagem de branding, campanhas de vendas, estratégias de mídias ou alguma visão inovadora que praticamente “reinventa a roda” no que se refere ao marketing. Mas, acredite, vale a pena prosseguir com a leitura.

Sem arrogância nem romancear demais, esse será o compartilhar da vivência de um CEO de atendimento e negócios de uma agência de publicidade e propaganda, que nos últimos cinco anos, muito escutou, analisou, orientou, aprendeu, esperneou e, em alguns casos, até consolou e acalmou empreendedores e gestores, no que, na avaliação dos mesmos, era o pior momento econômico da História do Brasil.

Nada de fugir para as colinas!

Esse era meu mais íntimo pensamento. Atendimento de excelência, comprometimento com os resultados, perseverança e resiliência, esses foram os quatro pilares-mestres, ou melhor dizendo, minha fórmula do sucesso.  

Muitas foram as vezes que nos debruçamos, o Team Novel, sobre os projetos dos nossos clientes, na busca por melhora nos resultados, mesmo diante de um cenário tão árido. Nesses momentos, é preciso enxergar muito além da marca: eram famílias que dependiam diretamente do êxito das nossas ações, para continuarem, simplesmente, com o sustento de seus lares. Responsabilidades redobradas!

De batalhas em batalhas, de balancim em balancim, a cerca foi sendo construída e reconstruída com o intuito de permanecer firme e em pé. De certa forma, na minha condição de conhecedor dos bastidores de multimercados, reunião sim, reunião não, me era perguntado, em tom de desânimo, se o Brasil ainda valia a pena. Não foram poucas as vezes que respondi um exclamado “SIM!”, ao passo que tentava gerar esperanças de que um Brasil renovado estava por vir, sabia-se lá quando, mas que viria com o renovar de um novo ciclo.

Fazendo um parêntese para puxar um rápido papo, caro leitor, imagino que você também relembre três ou quatro momentos muito difíceis que tenha passado nesses últimos anos – talvez até mais, infelizmente. Vejamos com bons olhos pós dilúvio! Estamos vivos e, quem sabe até, mais fortes por termos sido testados em tão severa tempestade. Mas, com o entendimento que acumulei na vida, ressalvo, não é hora de relaxar.

A retomada

Depois de longos anos de uma crise que amaldiçoou e castigou os empresários, gestores e forças comerciais, durante os quais metas se tornaram inatingíveis e margens se achataram a níveis alarmantes, 2020 desponta com potencial de ser “o grande ano da retomada”.

Cito “potencial” porque, como tudo na vida, a atitude humana molda o resultado e, mais uma vez, demandará ATITUDE, em negrito e caixa alta. Força e foco, que dessa vez, o resultado virá!

Sem entrar na vibe do motivacional, muito menos me passar por coach, coisa que não sou, enfatizo que você é uma energia infinita a gerar resultados, bons ou ruins, grandes ou pequenos. O que diferencia entre os extremos sucesso e fracasso? Força de vontade e foco no objetivo, incessantemente. Em uma resumida expressão, é fazer acontecer “independente de”.

Mas, retornando ao assunto principal, minha breve e otimista previsão para 2020 é que ele será de muita prosperidade, em comparação aos últimos anos. Para todos? Não, claro que não! Mas para quem o encarar de espírito renovado, com aquele brilho nos olhos de início de carreira, que bem reflete: força e foco!

Seja, mais uma vez, seu the best! Não se permita deixar representar por nada menos que a sua melhor versão, não se vista de “coitadinho de mim”.

Parafraseando um estimado amigo e profissional de vendas que admiro de longa data, já que nesses últimos anos foi moda “tirar leite de pedra”, agora que o pior já passou, “vamos pra cima, criatura!”

Mas, para quem se pegue refletindo, em um misto de desânimo e desconfiança, “quanto otimismo para um Brasil ainda capenga”, me adianto em resposta, agora dessa vez com base em estatística: o índice de confiança do empresário industrial alcançou 64,3 pontos em dezembro de 2019, o que reforça o maior otimismo dos empresários industriais segundo pesquisa da CNI - Confederação Nacional das Indústrias. Apenas para comparação, vale lembrar que o mesmo chegou a 36,0 pontos em dezembro de 2015.

Ainda sobre dados, com base na pesquisa da CNI, o índice de condições atuais, que registra percepção de melhora na economia em relação aos últimos seis meses, também registrou nova alta atingindo seu maior patamar desde junho de 2010.

Pronto, agora podemos acreditar! Nosso querido Brasil, agora vai!

Descontando os dados acima, voltando à inicial abordagem empírica, vou tentar embasar de onde vem todo esse sentimento de prosperidade: digo que vem dos muitos empresários que contactei nos últimos seis meses.

Sabe, foram muitas e boas conversas com empresários e gestores de vários setores (indústria, varejo e serviços), que descontando o ainda inicial lamento das perdas acumuladas, se animam no decorrer da conversa e dizem, como que em canção, “as coisas estão melhorando”, “essa é a hora de lançar minha marca própria”, “ainda não está lá essas coisas, mas já mudou o espírito das pessoas”, ou ainda, “preciso dar uma repaginada, porque a economia está voltado”, mas minha preferida de todas é a batida, “o Brasil, agora vai!”

Sim, agora vai, meu amigo! E meu convite é uma espécie de chamado, para que você se revigore e com a atitude de um vencedor, tenha força e foco, intensamente.

Vamos adiante, vamos juntos! Conte comigo, conte com a Novel!

 

Compartilhe:

Comentários

Artigos Relacionados

Penápolis Garden Shopping com notoriedade nacional

Multiplicidade de serviços e entretenimento ajudam shoppings a superar crise...

SONNE fala sobre Energia Solar

O Brasil é um dos países com maior potencial para...

FUNEPE se destaca com curso de Medicina

Plataforma 3D, metodologias ativas, campos de pesquisa e Google for...